O Constante Diálogo.






















Há tantos diálogos.

Diálogo com o ser amado
                   o semelhante
                   o diferente
                   o indiferente
                   o oposto
                   o adversário
                   o surdo-mudo
                   o possesso
                   o irracional
                   o vegetal
                   o mineral
                   o inominado

Diálogo consigo mesmo
                   com a noite
                   os astros
                   os mortos
                   as ideias
                   o sonho
                   o passado
                   o mais que futuro

Escolhe teu diálogo
                           e
tua melhor palavra
                         ou
teu melhor silêncio.
Mesmo no silêncio e com o silêncio
dialogamos.

                  (Carlos Drummond de Andrade)*


*: In “Discurso de Primavera & Algumas Sombras”.
Editora José Olympio, 1977.
►Imagem: Juliette Binoche por Robert Doisneau. Paris,1991).










Nenhum comentário:

Postar um comentário