Dani Olivier (1969).









































Mais do que um nu artístico, o que se vê aqui é arte projetada em corpo nu. 
A projeção precisa ser programada, é necessário pensar as texturas a serem 
usados, o ângulo de projeção e o objeto que receberá a luz. 
O fotógrafo francês mostra um domínio incrível desses elementos ao
compor sua série de nus “pintados” com a luz projetada. 
Sua arte sublima o nu de modelos cujo corpo já é perfeito
(ele costuma contratar dançarinas para posar), escolhendo poses
que compõem verdadeiras esculturas de luz colorida. 
Quase se disfarça a presença humana, tamanha beleza surreal
conquistada pela sua lente, sem edição digital posterior. 











































































































Nenhum comentário:

Postar um comentário