Memória...


A reconstrução do passado é um projeto perigoso.
Ao mexer na memória, a maior parte das peças nos escapa.
(...). Na  recomposição do passado o que se impõe,
Gritante e tenebroso, é o presente.
Estamos acorrentados ao presente e a lembrança do que passou
É só um artificio que usamos para abençoa-lo ou amaldiçoa-lo.”  


                                                                                                              (José Castello).


Fonte: Jornal 'O Globo'. Blog: Literatura.






Nenhum comentário:

Postar um comentário