Festas Juninas.


“A fogueira tá queimando
Em homenagem a São João
O forró já começou
Vamos gente, rapapé neste salão.”












O termo “festa junina” está associado a tradições de países cristãos europeus que prestam homenagem a São João ( 24 de junho). Originalmente, o evento era uma festa pagã que comemorava a chegada do solstício* de verão no Hemisfério Norte. Com a evangelização da Europa (Idade Média) o ritual pagão foi incorporado ao calendário cristão. O 24 de junho passou a comemorar o nascimento de São João Batista. Logo, outras datas do mês foram associadas a santos populares: Santo Antônio (13); São Pedro (29) e São Marçal (30). A mistura entre festas cristãs de santos e folguedos pagãos recriam até hoje novas práticas culturais. Os rituais trazidos principalmente por portugueses, mas também por espanhóis, holandeses e franceses, deram origem a diversos tipos de celebrações nas diferentes regiões do país. 

A miscigenação étnica entre índios, africanos e europeus fez brotar no país uma série de belas expressões artísticas, como cantorias de viola e cordéis; emboladas de coco e cirandas; xote, xaxado e baião, sem falar nas quadrilhas e forrós. Um dos grandes símbolos das festas juninas é a fogueira de São João. Segundo a tradição católica, ela surgiu na noite do nascimento do santo, quando sua mãe, Isabel, teria mandado acender uma fogueira nas montanhas da Judeia para anunciar a chegada do filho ao mundo. Outros vão dizer que o costume foi introduzido pelos primeiros cristãos, que acendiam fogueiras na festa de São João para lembrar que foi ele quem anunciou a vinda de Cristo (símbolo da luz divina). (...).
Os padres jesuítas trouxeram a tradição de São João para o Nordeste brasileiro, e os índios, que já adoravam dançar ao pé do fogo, aprovaram. As brasas da fogueira são um exemplo dessas tradições: assim que se apagam, devem ser guardadas. Conserva desse modo, um poder de talismã que garante uma vida longa a quem segue o ritual.
Assim como o forró, hoje as festas juninas fazem sucesso em todo o Brasil. No entanto, as maiores, mais concorridas e mais tradicionais estão no Nordeste. Afinal de contas, foi lá que as primeiras fogueiras de São João arderam na América portuguesa.

 Fonte: Nadja Carvalho (professora Universidade Federal da Paraíba. Pesquisadora da cultura popular nordestina). http://www2.uol.com.br/historiaviva/reportagens/e_tempo_de_sao_joao.html


















*: Solstícios e equinócios são nomes dados aos dias que iniciam alguma das estações do ano. A implantação dessas datas teve como pressuposto a intensidade com a qual os raios solares atingem a superfície terrestre. Esse fenômeno acontece no período do ano em que a Terra recebe uma quantidade maior de luz sobre um hemisfério. Os solstícios ocorrem em 21 de junho e 21 de dezembro. No solstício de 21 de junho, dá-se início ao verão no hemisfério Norte, desse modo, os dias são mais longos do que as noites. Já no hemisfério Sul, a data em questão marca o começo do inverno, no qual as noites são mais longas que os dias.


                                            



Nenhum comentário:

Postar um comentário