Brasil.. Junino.
 






“ Olha pro céu, meu amor vê como ele está lindo. Olha pra quele balão multicor. Como no céu vai sumindo. Foi numa noite, igual a esta que tu me deste o teu coração. O céu estava, assim em festa. Pois era noite de São João. Havia balões no ar. Xóte, baião no salão E no terreiro. O teu olhar, que incendiou Meu coração.” (Luiz  Gonzaga e José Fernandes).






“ O balão vai subindo, vem caindo a garoa. O céu é tão lindo e a noite é tão boa. São João, São João! Acende a fogueira no meu coração. Sonho de papel a girar na escuridão soltei em seu louvor no sonho multicor. Oh! Meu São João. Meu balão azul foi subindo devagar O vento que soprou meu sonho carregou. Nem vai mais voltar.” (Carlos Braga e Alberto Ribeiro).










Pula a fogueira Iaiá, pula a fogueira Ioiô. Cuidado para não se queimar. Olha que a fogueira já queimou o meu amor. Nesta noite de festança todos caem na dança alegrando o coração. Foguetes, cantos e troca na cidade e na roça em louvor a São João.Nesta noite de folguedo todos brincam sem medo a soltar seu pistolão. Morena flor do sertão, quero saber se tu és dona do meu coração. ”
(João B. Filho).















Eu pedi numa oração. Ao querido São João. Que me desse um matrimônio. São João disse que não! São João disse que não! Isto é lá com Santo Antônio! (...). Implorei a São João. Desse ao menos um cartão. Que eu levava à Santo Antônio. São João ficou zangado. São João só dá cartão. Com direito a batizado (...). São João não me atendendo. A São Pedro fui correndo. Nos portões do paraíso. Disse o velho, num sorriso: - Minha gente, eu sou chaveiro! Nunca fui casamenteiro!
(...). São João não me atendendo. A São Pedro fui correndo. Nos portões do paraíso. Matrimônio! Matrimônio! Isto é lá com Santo Antônio. ” (Lamartine Babo).





 
  Com a filha de João Antônio ia se casar, mas Pedro fugiu com a noiva na hora de ir pro altar.
 A fogueira está queimando, o balão está subindo, Antônio estava chorando e Pedro estava fugindo. E no fim dessa história, ao apagar-se a fogueira, João consolava Antônio, que caiu na bebedeira.” (Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago).





























 












Nenhum comentário:

Postar um comentário