O por do sol.



                                                                        “ (...), nascerão colecionadores do por do sol? (...) se a moda se espalhar não haverá mais necessidade da Torre Eiffel, do Coliseu ou das Pirâmides para atrair turistas. Será suficiente o mais famosos acontecimento natural cotidiano. (...) Se um filme qualquer vale sete euros ou mais quanto vale o por do sol, peça única, não duplicável, que não se pode baixar na internet? Por outro lado é um evento caro, hein, com o mar, a praia, o sol e todo o resto. Não precisamos de efeitos especiais. É muito melhor que Hollywood.

                                       
                                                    (Fausto Brizzi) *




*: (in “100 dias de felicidade”, editora SUMA,2013-pág.201).

Imagem: Praia de Piatã, Salvador-Bahia













Nenhum comentário:

Postar um comentário