Uma visão.

                    “ Segundo o jacobino, a coisa pública é dele, e, a seus olhos, a coisa pública
           abrange todas as coisas privadas, corpos e bens, almas e consciências.
Assim, tudo lhe pertence.
             Pelo simples fato de ser jacobino, ele se acha legitimamente tzar e papa.
Sendo o único esclarecido, o único patriota, ele é o único digno de comandar, e seu orgulho imperioso julga que toda resistência é um crime...
          No entanto, resta-lhe pôr em acordo seus próximos atos com suas palavras recentes.
A operação parece difícil, pois as palavras que ele pronunciou condenam
                      de antemão os atos que ele planeja.
Ontem, ele exagerava os direitos dos governados, ao ponto de suprimir os dos governantes.
                   Amanhã ele vai exagerar os dos governantes até suprimir os dos governados. ”


(Hippolyte Adolphe Taine, 1866).



Imagem: Jornal 'Folha de São Paulo' de 02.11.2003).








Nenhum comentário:

Postar um comentário