O tempo histórico.
As formas de se contar o tempo se modificam de acordo com os referenciais adotados

Vivenciar conscientemente o tempo histórico

em que transcorre a nossa existência é um privilégio,
um dever e um direito da inteligência individual,
que não alcança sua plenitude senão absorvendo
 e integrando as tensões e mutações
do ambiente maior em torno


                      (Olavo de Carvalho in
‘O mínimo que você precisa para não ser um idiota”.
RJ. Editora Record, 2013, pg. 143 ).












Nenhum comentário:

Postar um comentário