Caminhando... com as desilusões.
                           

                                               “ O Brasil quer mudar. Mudar para crescer, incluir, pacificar. (…). 
O sentimento predominante em todas as classes e em todas as regiões é o de que o atual modelo esgotou-se. 
Por isso, o país não pode insistir nesse caminho, sob pena de ficar numa estagnação crônica ou até mesmo de sofrer, mais cedo ou mais tarde, um colapso econômico, social e moral. 
O mais importante, no entanto, é que essa percepção aguda do fracasso do atual modelo não está conduzindo ao desânimo, ao negativismo, nem ao protesto destrutivo. 
Ao contrário: apesar de todo o sofrimento injusto e desnecessário que é obrigada a suportar,
 a população está esperançosa, 
acredita nas possibilidades do país, mostra-se disposta a apoiar e a sustentar um projeto nacional alternativo, que faça o Brasil voltar a crescer, a gerar empregos, a reduzir a criminalidade, 
a resgatar nossa presença soberana e respeitada no mundo.


“Carta ao Povo Brasileiro”. São Paulo, 22 de junho de 2002.



►Fonte: Jornal ‘Folha de São Paulo’ de 24/06/2002.
► Imagem: Araquém Alcântara (‘Coletor de sucata’, Cubatão, São Paulo. 1979








Nenhum comentário:

Postar um comentário