Brasileiro... e o sonho.


 “Sem sonhos,
a vida seria somente
um ensaio para a morte”
(Manuel Serrat. Cantor catalão).


                                                            “ O Brasil é um país que dificilmente saberia viver sem sonhos, talvez porque durante muito tempo os teve frustrados. (...) ganhe quem ganhar o pleito eleitoral, os brasileiros não perdoarão o vencedor que tiver medo de sonhar um Brasil diferente. (...).
Este país, há anos, surpreende o mundo não só por sua forte carga de injustiça social ou por seus índices de corrupção política ou de violência, mas também por sua grande criatividade, pelo esforço da geração jovem, incluindo a chegada da sofrida classe C, para decidir seus destinos e reinventar sua vida.
O Brasil é um país de paradoxos no qual convive discriminação racial junto com uma incrível capacidade de pluralismo religioso e de aceitação dos estrangeiros e diferentes. (...). Agora, o Brasil pode surpreender um Planeta apático com a política por sua capacidade de introduzir nela a força de novas utopias, já que as velhas se desvaneceram ao se fazerem incompatíveis com a democracia e as liberdades.
Este país pode ser capaz hoje de demonstrar que não existe incompatibilidade entre a realidade concreta da vida e a capacidade de não renunciar a sonhar, como já foi capaz anteriormente de demonstrar que se pode não perder o gosto pela festa e a alegria em meio à amargura e a tirania da pobreza. (...) está cientificamente provado que sonhar é indispensável até para nossa saúde mental, deveria ser também no campo da política, que é a arte de decidir o tamanho da felicidade dos cidadãos.

“Vivemos uma vida, sonhamos com outra,
mas a de verdade é a que sonhamos”
(Jean Guéhenno. Crítico literário francês).

Mudemos em sua frase, a palavra vida pelo vocábulo “política” e aparecerá que o que pode melhorar nossa vida de cidadãos não é somente aquela com a qual convivemos, mas também a que seguimos sonhando. (...). O Brasil pode estar na véspera de tentar voar de novo, sem medo, para novos caminhos de esperança.

(Texto produzido pelo escritor e jornalista espanhol Juan Arias no jornal ‘El Pais’ em 26.08.2014).  



● Imagem: “Cidade do Sonho” de Raquel Galena.









Nenhum comentário:

Postar um comentário