Este País.










“ Quando a atual ditadura acabar, a máquina oligárquico-sindical pós-1945, baseada na aliança dos opostos e no estrangulamento da classe média, de tão bem montada, voltará a funcionar por si só. As oligarquias e os caciques políticos continuarão a dominar todos os governos, para os quais um tímido reformismo já será esforço incomensurável. Os trabalhistas, o sindicalismo castrado terão fatias do governo como premio de consolação. Não sei quanto tempo demorará, mas a parceria irá se recompor. A visão politica do brasileiro esta profundamente condicionada. Ou um dia virá outro Jango, pelo voto direto ou por acidente, e em vez de oligárquico-sindical a máquina será de novo temporariamente invertida. Tudo parecerá muito bonito, mas na essência a cultura política do país continuará a mesma; tacanha, descrente do poder produtivo da sociedade, personalista, estatizante, patrimonialista e extremamente corrupta. O Brasil continuará no voo de galinha, e a classe media, desprezada pelos de baixo, por conservadorismo, continuará espremida pelos dois lados, muito embora, seu fortalecimento seja a melhor e mais inevitável consequência da distribuição de renda.”
 
(Rogério Lacerda in “Carlos Lacerda/A republica das abelhas”,
1ª ed., Cia das Letras, 2013, Pág. 513).
 
Imagem: Orlando (Pintor naïf brasileiro de São José do Rio Preto/São Paulo), 2013.
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário