Este País.
 
 

 
 
 
 
 
  Joaquim Nabuco percebeu que "a escravidão permanecerá por muito tempo como a característica nacional do Brasil". Realmente, até hoje, somos fabricados por uma cultura do servir e ser servido. Faz parte de nossa formação um conjunto de relacionamentos hierárquicos onde as partes sempre se definem relativamente umas às outras. Todos nós servimos aos nossos patrões com a mesma intensidade com a qual somos servidos pelos nossos empregados. A estrutura resultante, determinada pela simultaneidade paradoxal e dilemática, nos torna simultaneamente patrões e clientes, dependendo da situação. Em casa, mandamos; na rua, temos (eis o problema) que obedecer. Falta o olhar horizontal igualitário que hoje demanda seu lugar numa apertada vida pública nacional. ”
 

 
Imagem: Hector Consami (http://consani.com.br/?page_id=8)

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário