a flor...

Se o amor cabe numa só flor, então é infinito”.

                                                                        (Antonio Porchia. 1885-1968. Poeta argentino)

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário