O País.


“ O país perdeu a inteligência e a consciência moral.
Não há princípio que não seja desmentido nem instituição
que não seja escarnecida.
Já não se crê na honestidade dos homens públicos.
A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia.
Os serviços públicos abandonados a uma rotina dormente.
O desprezo pelas ideias aumenta a cada dia.
A ignorância pesa sobre o povo como um nevoeiro.
 A intriga política alastra-se por sobre a sonolência enfastiada do país.
Não é uma existência;  é uma expiação ”.
 
                                                                      (Eça de Queiroz. 1845-1900).

 

▪ Imagem: “ Um certo país ao sul ”.  Casimiro de Brito, Seara Nova, 1975

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário